Livro: "A lista de Brett" - Lori Nelson Spielman

O livro se inicia com a executiva de marketing Brett Bohlinger tentando lidar com a morte de sua mãe, Elizabeth, após um câncer. Mal tendo absorvido tal situação, no momento de receber sua herança, as coisas não acontecem conforme Brett imagina. Ela acreditava que, além de presidir a empresa Cosméticos Bohlinger em substituição a mãe, estaria na divisão dos bens normalmente como seus irmãos porém, quando a família se reúne com o advogado contratado especificamente para este fim, eis a surpresa: Elizabeth deixa, além de seu testamento, uma lista de sonhos escrita por Brett quando a mesma tinha 14 anos, que foi guardada pela mãe, com a condição de receber a sua parte na herança se cumprisse os itens da lista no período de um ano...




Isso tudo deixa Brett desolada pois ela tem a impressão que os irmãos ficaram tranquilos enquanto ela estaria perdendo tudo o que tinha em detrimento de cumprir uma "lista idiota" e se questiona o motivo de a mãe ter feito isso com ela: Como uma lista feita por uma adolescente poderia fazê-la feliz nos dias atuais?? Por que uma pessoa com 36 anos, um bom emprego, um namorado bem sucedido, morando em um lindo loft em um ótimo bairro, um carro maravilhoso e dinheiro na conta teria que se submeter a isso?

Com isso, as coisas começam a ruir na vida de Brett: ela se vê sem seu emprego na empresa da mãe, a cunhada ficando com o seu cargo na presidência e um relacionamento desmoronando. Os irmãos parecem não estar muito preocupados com a situação que ela está vivendo e Brett começa a se ver sem alternativa a não ser cumprir a bendita lista que tem itens como: ter um filho, ter um cachorro, fazer uma apresentação em público, ser professora e amar seu emprego.
A cada item cumprido, o advogado entrega a Brett uma carta deixada por sua mãe.



Esse livro foi muito diferente do que eu esperava... Foi mais profundo e, apesar de não concordar com algumas coisas na leitura, me fez refletir sobre algumas questões. Inicialmente Brett me irritou com a submissão ao namorado, a falta de firmeza diante dos irmãos em algumas situações e de sua própria vida. Ver Brett amadurecendo com o passar das páginas é muito interessante, fazendo com que eu torcesse mais por ela. A forma atrapalhada que ela lida com a vida amorosa também evolui a medida que conhecemos alguns "pretendentes". A relação de Brett com a mãe parecia tão linda e próxima mas essa afirmativa cai por terra não somente por este plano de Elizabeth mas por alguns fatos que se revelam a seguir. Confesso que achei as cartas da mãe um pouco forçadas, pois soam como se de fato ela soubesse exatamente o que aconteceria com a vida de Brett em cada item da lista mas relevei, rs. Gostei muito da leitura ser em primeira pessoa, fluiu muito bem.

A cada página, permaneci na expectativa do que aconteceria a Brett e se ela realmente conseguiria cumprir as tarefas e de que forma isso de desenrolaria pois, fui percebendo que não seria, nem de perto, como ela imagina no início do livro.

A leitura nos leva a reflexões sobre recomeço, zona de conforto, realização de sonhos, encarar os medos e, consequentemente, amadurecimento. Quantas listas já fizemos e não levamos a diante?



"Eu acho que cada um tem o poder de realizar os próprios desejos. Só precisamos encontrar coragem para isso."


Beijos e fiquem com Deus!!   






Livro: "A probabilidade estatística do amor à primeira vista" - Jennifer E. Smith

"... o amor, diferente das bagagens, jamais se extravia."

O livro conta a história de Hadley, uma garota de 17 anos que está indo dos EUA a Inglaterra para o casamento de seu pai. Ela não o vê há um ano e se sente muito contrariada pela situação ainda mais pelo fato de nem mesmo conhecer a noiva pessoalmente. No aeroporto, o destino de Hadley se cruza, de forma inusitada com Oliver, um gentil rapaz inglês e assim, acompanhamos 24 horas na vida de Hadley.



" No final das contas, não são as mudanças que partem o coração, e sim esse quê de familiaridade. "


Já ouvi diversas indicações sobre esse livro e quis lê-lo neste momento também por se tratar de um YA, gênero que gosto bastante. Havia acabado de sair de um livro mais pesado então, busquei uma boa leitura, mais leve porém confesso que esperava mais diante de tantos elogios que vemos sobre a obra. 



Primeiramente, acredito que o livro poderia estar em primeira pessoa ao invés de terceira pois, em todo momento, lemos somente sobre o que Hadley vive ou sente. A leitura ficaria mais fluida. Além disso, o excesso de flashbacks, principalmente em meio a momentos impactantes, tiraram um pouco a minha atenção da cena principal sobretudo quando estes contavam histórias longas que nem sempre justificavam essa inserção. Também achei a personagem Hadley imatura um pouco além da conta e isso contribuiu para que a história não me prendesse. Uma leitura que poderia ser feita rapidamente, arrastou-se em alguns momentos pelos motivos acima.




Este livro também tem pontos positivos: descreve momentos muito românticos, é fácil se encantar por Oliver... algumas vezes me peguei com um sorriso bobo diante de cenas fofas da viagem. É legal pensar em alguns contrates entre os EUA e Inglaterra que são citados ou imaginar as diferenças de sotaque.

Vale a leitura para quem procura uma história leve para passar o tempo.


"Será melhor ter alguma coisa e perdê-la, ou nunca a ter tido?"
Beijos e fiquem com Deus!! 

Livro “Não conte para a mamãe” – Toni Maguire

“Sentia-me segura do amor da minha mãe. Amava-a e sabia que ela me amava. Ela haveria de mandá-lo parar. Mas não mandou.”


“Não conte para a mamãe – Memórias de uma infância perdida” é um livro onde a autora Toni Maguire conta a história de sua triste infância marcada por abusos físicos e psicológicos. Quando tudo começou, Antoinette, como era chamada pela família, tinha apenas 6 anos e, mesmo assim, ela jamais pode se esquecer dos detalhes, da dor, do abandono e de tudo o que sentiu.

A história se inicia com Toni acompanhando a mãe já idosa em estado terminal em um hospital quando ela começa a refletir e ter que lidar com os fantasmas de seu passado. Na década de 1950, o pai de Antoinette, um veterano da 2ª guerra mundial, retorna em definitivo para casa. Com as dificuldades financeiras e de emprego na Inglaterra, o pai, que gastou todo o dinheiro da indenização recebida depois da guerra, decide se mudar com a família para a Irlanda do Norte, sua terra natal.
Após a mudança, o pai, até então, bom para Antoinette, tenta se aproximar de forma estranha da filha de apenas 6 anos, com carícias, um beijo... E, nessa mesma ocasião, ele pediu segredo a menina.
Tendo oportunidade, Antoinette tentou contar o fato a mãe que transparecia ter medo do que estava por vir e pediu para que nunca mais a menina falasse sobre isso. NUNCA MAIS...

“Com uma triste resignação, apercebi-me de que a minha mãe sempre soubera o que o meu pai sentia por mim.”

Nesta história, lemos sobre um homem de atitudes monstruosas e manipuladoras. Foram anos de total exploração sexual, tortura física e psicológica feitas a uma criança e, posteriormente com o passar dos anos, a uma adolescente que não tinha a quem recorrer. Coagida por ameaças feitas pelo pai de que as pessoas não acreditariam, a culpariam por tudo, que a sua mãe a expulsaria e deixaria de amá-la, Antoinette sedia aos desejos desse pai tão asqueroso. Vemos uma mãe não somente relapsa e omissa mas egoísta, que priva a filha de seu amor e cuidado. Imersa em seus desejos de possuir uma casa própria, da vida profissional e financeira estáveis e da atenção do marido, de fazer parte de um aparente lindo casal em detrimento da integridade da própria filha, fazia com que a mesma passasse por situações de total abandono afetivo e, até mesmo, em relação sua higiene e vestuário. A atitude dessa mãe tem alguns lapsos de melhora somente quando as coisas correm da forma que ela deseja, indo ao encontro de seus objetivos e quando não aborrecem ao seu homem.

Não havia me preparado para essa leitura e acredito que nada teria me feito sentir pronta para o que estava por vir. Comecei o livro mal tendo lido a sinopse e não imaginei tamanha riqueza de detalhes ditos de forma tão direta. Acompanhar essa história é triste, doloroso e revoltante diante de sua realidade e de tantas outras histórias que ela representa.




Chorei... com vontade consolar Antoinette, tirá-la dessa situação, dizer a ela que não merecia isso e nada deve a essa mãe nem ao julgamento das pessoas. Toni sentia uma necessidade tão grande de ser amada que, durante anos, culpara apenas o pai. Achava que a mãe era apenas uma pessoa fraca. Uma criança, que deveria ter amor e proteção junto a sua família, teve a infância e juventude destruídas. Diante das outras pessoas, a família se passava por comum, com atividades sociais cotidianas mas somente Antoinette sentia o que lhe traria consequências em diversos os âmbitos de sua vida. Depois de tudo, ainda teve que sofrer com todo o preconceito e a rejeição por parte das pessoas, pela culpa que nunca foi dela...

Recomendo fortemente a leitura, apesar de se tratar de algo tão difícil e pesado, para que possamos, enquanto sociedade, abrir nossos olhos, nos atentar aos sinais de que pode existir alguma “Antoinette” sofrendo silenciosamente precisando ser acolhida.




“Pode construir-se uma casa e torná-la bela. Pode-se dar-lhe o aspecto mais  maravilhoso possível e mobilá-la com objectos encantadores. Pode-se  transformá-la num símbolo de riqueza e sucesso, como eu fiz com o meu  apartamento em Londres, ou pode-se fazer dela um lar e enchê-la de felicidade.  Mas, se desde logo não se teve o cuidado de construí-la sobre fundações sólidas,  ao longo dos anos as rachas começarão a aparecer. Se não houver tempestades  que ameacem a sua estrutura, pode manter-se de pé para sempre, mas, sujeita a  pressão, em condições atmosféricas adversas, ruirá porque não passa de uma  casa mal construída.”


Beijos e fiquem com Deus!! 

Planner Download Grátis!! ♕


No último post do blog (clique aqui pra ler!), falei um pouco sobre Planner e que, em meio as minhas pesquisas, encontrei ótimas opções para download, até por que, aqui no Brasil eles estão excessivamente caros (valores entre R$200 e R$500).

 Fonte: Pinterest

Claro que nada impede que você faça o planner seu personalizado em um caderno, com as suas divisões, por exemplo. Se você tem habilidade com programas como o photoshop, pode fazer no computador mas, se não é o seu caso, já existem diversas opções de inserts específicos para planner.
Com esses inserts em mãos, é possível, após a impressão, encadernar, fazer uma capa personalizada, plastificar ou colocar em um fichário/ caderno argolado.

Como contei anteriormente, comprei um planner no Aliexpress e, enquanto ele não chega, imprimi alguns inserts que me atendem até o momento. Coloquei no meu fichário da faculdade que anda sempre comigo! ;)




♕ Seguem os blogs que encontrei nas minhas pesquisas e disponibilizaram os inserts (em português!) que mais gostei. Clique nos nomes para ver os links:

Planner "Casinha Arrumada" → Aqui, Inara (que é uma simpatia!) montou um planner bem legal com diversas opções de capa. Pode ser impresso tanto no tamanho A4 quanto A5 (o que facilita na hora de carregar). Ela fez um vídeo bem explicativo e eu inclusive estou usando vários inserts dela.

POC Planner → A Gabi do "Peace of Cake" fez o POC Planner, cheio de inserts fofos, com quotes (como alguns modelos lá de fora) e ensinou montar em formato fichário, no tamanho A5. Além disso, ela disponibilizou cartela de adesivos e o blog tem uma proposta de disponibilizar novos inserts todos os meses. Ahh, e tem uma opção mais clean de planner!

Nicolle Rocha Nesse vídeo, a Nicolle fala sobre o planner e mostra como montou os seus inserts em um fichário A4 (para usar na faculdade como eu). Amei as divisórias que ela fez! A Nicolle também disponibilizou adesivos.

Casa Informal Aqui, Angélica disponibiliza um planner fofo e descomplicado. Ela dá uma ideia de envelope, que encontramos em algumas agendas, e facilita na hora de guardar pequenos papéis, algum documento e até mesmo adesivos! 





Agora não tem desculpa para não se organizar esse ano!! rs...
                                             Se você quer um planner em conta e com a sua cara, mãos a obra!

Fonte: Pinterest

Espero que tenha sido útil e que tenham gostado! Caso tenham alguma dúvida, deixem nos comentários!!




Beijos e fiquem com Deus!! 

O que é PLANNER?


Eu sempre usei agendas, a vida toda...

Depois dos diários da infância, que eu amava ganhar, comprar, escrever e decorar, vieram as agendas... não passava um ano sem comprar e até hoje é assim. Mesmo depois de adulta escolhia as mais fofas para uso pessoal. Olhem algumas delas vergoinha:

 

De uns anos pra cá, meu trabalho exige muita organização quanto a horários e prazos então, não vivo sem ao menos uma agenda para uso profissional porém, com uma cara mais clean, claro. 
Mesmo dispondo de ferramentas como o outlook, eu tenho a necessidade de anotar, riscar, me planejar no papel. Esses dias estava dando uma limpa aqui em casa e, mesmo não tendo mais todas as agendas da vida, ainda tinham muitas por aqui (inclusive encontrei uma permanente para usar no trabalho, yey!!) e percebi o quanto gosto desse tipo de objeto para organização.

Fonte: Pinterest

Eu estou meio que fissurada no assunto ORGANIZAÇÃO e estava em busca de métodos para me organizar ainda mais este ano, não somente com meus compromissos mas com minha casa, roupas e objetos e foi quando eu conheci o PLANNER.

O planner nada mais é do que uma agenda mais completa, onde você consegue visualizar seu mês ou semana de uma só vez e pode ter o controle de algumas coisas específicas da sua vida.

 Fonte: Pinterest

Achei muito legal e prático por que ninguém tinha pensado nisso antes? pois, muitas vezes não utilizamos aquela folha inteira para um dia, mesmo quando a agenda é pequena e, por semana, é possível otimizar espaço e inserir outros itens como folhas para listas ou anotações diversas, por exemplo.

        
Fonte: Pinterest

O planner é uma febre em outros países e aqui está começando a fazer a cabeça de muita gente pois, além do objetivo de organizar a vida, elas usam como uma distração fazendo a decoração das páginas. Creio que ele está começando a ocupar o lugar dos famosos livros de colorir para adultos.




Pesquisei planners para comprar aqui no Brasil porém os mais legais tem preços astronômicos que giram de R$200 a R$500 e, mesmo amando organização e coisas fofas, não vejo motivos para gastar esse valor em um planner no momento. Além do mais, eles são meio grandes, não são tão práticos. Saio de casa pela manhã e só chego à noite então, não seria viável carregar.

 Fonte: Pinterest

Comprei um planner no Aliexpress e, assim que ele chegar, mostro pra vocês em vídeo no meu canal, ok?!

Enquanto ele não chega, eu pesquisei planner grátis para download e achei opções maravilhosas!! (Clique aqui para ver!!)

Espero que tenha sido útil e que tenham gostado! Caso tenham alguma dúvida, deixem nos comentários!!




Beijos e fiquem com Deus!! 

Crepioca muito fácil

Há muito tempo ouço falar dessa tal de Crepioca e, depois de me tornar adepta a tapioca, procurei receitinhas para fazer a dita cuja, rs! Eis que vou mostrar uma receita mega fácil e gostosa!! =D



Fiz um videozinho rápido (logo acima) e, abaixo, listei os ingredientes e variações:

2 ovos inteiros
4 colheres (sopa) de goma para tapioca (aquela que vai direto na frigideira)
4  colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
Salsa desidratada a gosto
Sal a gosto

 
Modo de preparo:

Bata bem os ovos até que incorporem. Acrescente a goma para tapioca e e mexa bem.
Logo após, coloque o queijo, a salsa e o sal e mistures tudo até que fique homogêneo.
Coloque a mistura em uma frigideira antiaderente espalhando para que o fundo da mesma fique coberto pela massa. Aguarde até que um lado cozinhe e vire a crepioca para que cozinhe os dois lados por igual.

Prontinho! 

Sugestões: Ao invés de queijo parmesão, utilize queijo cottage para uma receita mais magrinha.
Também vale rechear conforme sua preferência! Use a imaginação e bom apetite!!


Espero que tenha sido útil e que tenham gostado! Caso tenham alguma dúvida, deixem nos comentários!!


Beijos e fiquem com Deus!! 

DIY ✄ Como fazer almofadas do Facebook?

Estou em uma fase de encanto com objetos de decoração. Aos pouquinhos estou reformando meu apartamento e buscando inspirações...

Sempre gostei de fazer meu cabelo, minhas unhas e personalização das minhas coisas. Com a minha decoração não seria muito diferente. Já tenho uma wishlist considerável e nela consta alguns itens que são muito fofos porém, não são baratos: almofadas!! Mas não qualquer almofada, queria algo mais personalizado... então, depois de ver na internet almofadas lindas, diferentes e personalizadas, decidi fazer as minhas próprias.



Seguem os materiais que utilizei:





→ Enchimento para almofada (pode ser manta acrílica, fibra siliconada...);
→ Feltro azul;
→ Feltro Branco;
→ Cola quente (ou cola para tecido);
→ Régua;
→ Papel e caneta (para fazer o molde);
→ Tesoura.


1. Cortei 2 quadrados no feltro azul 30X30 cm



2. Busquei na internet o logo do facebook e copiei diretamente da tela do computador para o papel. É só ter cuidado e calma que dá certinho.



3. Recortei o "f" e preguei com um alfinete no feltro branco. Muitas pessoas riscam o molde no feltro mas eu preferi apenas pregar e ir recortando com cuidado para não correr o risco de riscar o feltro e ficar aparecendo após a finalização do trabalho.





4. Peguei aqueles quadrados que recortei inicialmente no feltro azul e colei as bordas com a cola quente, deixando um pequeno espaço sem colar, com o lado bonito para dentro. O feltro é um tipo de TNT (tecido não tecido) e ele tem o lado direito. É só observar o lado menos macio com "furinhos", este então, é o lado que não deve aparecer.


 

5. Logo após, virei do lado contrário, como se estivesse colocando do avesso mas, na realidade é o lado certo, esticando bem as pontinhas para que a "costura" fique do lado de dentro e o lado bonito do feltro, para fora. Depois, colei o "f" com cola quente, prendendo toda a borda da figura.



6. Em seguida, recheei toda a almofada com a manta acrílica. Separei bem com as mãos antes de rechear a almofada para deixar bem macia e caprichei na quantidade. Dessa forma, é só fechar, dobrando as pontinhas para dentro para que o acabamento fique bonito e pronto! É só deixar decorando a cama, o sofá ou qualquer outro lugar que quiser!!


Eu gostei muito do resultado!!

Obs: Muito cuidado com a cola quente!! Ela seca muito rápido então recomendo que você cole cada parte aos poucos, de imediato, cada pedacinho. Outra coisa, ela é bem quente! eu mesma queimei o dedo, rs...
Vou experimentar fazer com cola de tecido pois acho que, além de mais segura, o acabamento deve ser ainda melhor. 

Ahh, não deixe de curtir a página nossa página no face!! :)


Espero que tenha sido útil e que tenham gostado! Caso tenham alguma dúvida, deixem nos comentários!!


Beijos e fiquem com Deus!!